O poder da personalidade

 

O autoconhecimento é essencial, porque é o pré-requisito da autogestão, compreensão do outro e melhora nas relações de trabalho. Personalidade é permanente, pois é o que somos.
O SDI abre uma janela na personalidade através de nosso Motivational Value System (MVS). Melhor dizendo, o SDI mostra como esses três motivos se mesclam em cada pessoa:

  • Pessoas – ajudar e desenvolver os outros
  • Performance – ação direta e objetivos atingidos
  • Processos – estabelecer ordem clara e significativa

Cada um prioriza esses três motivos primários, de maneira diferente. O SDI define sete tipos de MVSs – baseados em como os três motivos trabalham juntos em diferentes pessoas. Estabelece cores para definir estes tipos:

-Azul (Pessoas)
-Vermelho (Performance)
-Verde (Processos)

O SDI mostra o que te motiva em qualquer situação, explicando porque você usa suas capacidades. As pessoas podem ter os mesmos comportamentos por diferentes razões – uma percepção fundamental no método do SDI.

Alguns exemplos:

– MVS Azul (foco na pessoa): “quero incluir os outros para que cada um se sinta valorizado”.
– MVS Vermelho (foco na performance/desempenho): “quero incluir os outros para que todos se comprometam com a tarefa”.
– MVS Verde (foco no processo): “quero incluir os outros para ter certeza que nenhuma informação fundamental seja negligenciada”.
– MVS Centro (foco igual em gente/desempenho/processo) “quero incluir os outros para que possamos explorar diferentes perspectivas”.

O cerne de nossos motivos influencia como ver pessoas e situações. Nossos motivos e valores podem funcionar como filtros para ajudar a navegar em diferentes situações. Ajudam a focar no que importa para a gente e não a se distrair  por algo sem importância. Esses mesmos filtros, porém, podem causar pontos cegos e fazer com que nossa visão se distorça ou que se perca algo, levando a decisões erradas e criando conflitos.

Podem também dificultar a avaliação correta do que acontece em diversas situações como, por exemplo, quando há uma desistência do cliente, um projeto perde o prazo ou uma negociação não dá certo. Sem uma avaliação exata não podemos identificar como interagir com os outros a fim de obter os resultados desejados. Por outro lado, se estamos conscientes de nossos filtros, podemos decidir por uma melhor maneira de atuação – quando ser enérgico com a parte interessada e quando ser favorável; quando seguir em frente com cuidado com alguém e quando correr algum risco.
Nossos filtros podem também falsamente limitar nossas opções. Muitas vezes achamos que só possuímos algumas capacidades disponíveis para uma situação, quando na verdade temos um verdadeiro arsenal. Restrições de nossa parte limitam nossa capacidade de responder efetivamente e interagir com os outros. O indivíduo, a equipe e suas organizações pagam o preço na perda de potencial, em desempenhos medíocres e decisões precárias.

O treino do Tota SDI ajuda na remoção desses problemas. A metodologia consegue isto porque ensina escolhas mais efetivas baseadas numa melhor avaliação das situações.

Quando conseguimos conectar capacidades especificas ao cerne de nossa motivação, descobrimos que é mais fácil escolher comportamentos que antes achávamos difíceis, nos tornando mais livres para agir de forma mais inteligente e produtiva.